O que é blended learning e como implementá-lo na educação corporativa

Aprendizagem mista traz diferenciais para o treinamento empresarial

Um treinamento corporativo presencial é imbatível quando se pensa na interação imediata que ele proporciona entre colegas e instrutores e na possibilidade de networking que oferece aos participantes. Esse modelo traz vantagens também por permitir que os colaboradores troquem experiências e esclareçam dúvidas no calor das discussões, além de ajudar a desenvolver habilidades de trabalho em equipe.

Mas um programa de educação corporativa on-line também tem seu lugar quando se trata de benefícios para trabalhadores e organizações. A flexibilidade de horários, com possibilidade de acesso a conteúdos sob demanda, e o alto potencial de engajamento de um curso ministrado por meio de uma plataforma LMS com recursos de gamificação são apenas algumas das vantagens do EAD corporativo – o que já é suficiente para tornar acirrada a disputa entre iniciativas presenciais e à distância na perspectiva da pedagogia empresarial. Então que tal combinar as metodologias para construir uma proposta híbrida que agregue o melhor de cada uma delas no treinamento ideal?

Essa é a base do blended learning, uma solução de aprendizagem mista que, no caso das empresas, visa integrar formas clássicas de treinamento ao aprendizado virtual individualizado por meio de e-learning, mobile learning e outras formas de educação corporativa on-line.

O blended learning concilia, portanto, aulas on-line com aulas presenciais, mesclando ambientes para dar mais flexibilidade e eficiência ao treinamento corporativo.  O grau dessa combinação depende da natureza do conteúdo, do perfil das equipes que serão treinadas e de como elas responderão ao programa. O segredo é a metodologia empregada para integrar cada um dos momentos.

Está começando a se inteirar sobre educação corporativa on-line? Nosso e-book pode te ajudar nos primeiros passos.

O que é blended learning

O blended learning traz na acepção do termo a ideia de misturar, em uma atividade de ensino, diferentes modalidades, metodologias, abordagens pedagógicas, mídias e formas de entrega da informação, com o intuito de criar um novo modelo de aprendizado. “É a integração didaticamente planejada do presencial e do virtual na educação”, sintetiza o professor de matemática do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Minas Gerais (IFMG), Saulo Furletti, que mergulhou sobre o tema para desenvolver sua tese de doutorado.

Ele esclarece que a zona híbrida formada pela intersecção entre presencial e virtual vem ganhando destaque nas iniciativas educacionais à medida que as tecnologias avançam, e que a tendência é o blended learning tornar-se predominante no ensino-aprendizagem.

No mundo corporativo, os benefícios dessa metodologia são especiais. Ela consegue criar, se bem articulada e integrada didaticamente, uma situação de treinamento constante nas empresas. “Como uma vitamina de frutas, cujo resultado final não é nem o leite nem a fruta, mas uma nova proposta, o blended learning dá condições para que o colaborador possa passar por momentos presenciais e virtuais de treinamento de maneira constante, durante todo o período em que permanecer na empresa, numa dinâmica espiralada de desenvolvimento”, afirma Saulo Furletti.

Para que um treinamento corporativo baseado no blended learning não seja apenas pontual e acompanhe todo o ciclo de permanência do colaborador na organização, a sócia da Viddia Fabiana Bigão reforça a importância de se traçar o Plano de Desenvolvimento Individual (PDI). “Antes de a pedagogia empresarial começar a planejar o blended learning, ela deve levantar quais são as capacidades que precisam ser desenvolvidas em cada profissional, sempre levando em consideração a evolução das demandas da empresa e do próprio colaborador”, lembra.

Vantagens do blended learning

Tomados todos esses cuidados no desenvolvimento do PDI e no planejamento de uma proposta de treinamento bem integrada didaticamente, empresas e trabalhadores têm muito a ganhar com uma proposta de blended learning.

Para os colaboradores:

Personalização do ensino: as propostas de aprendizagem baseadas no blended learning são adaptadas para atender às características individuais dos estudantes, no caso das empresas, os colaboradores.

O aluno não está à deriva com o blended learning. Num treinamento corporativo, o trabalhador é auxiliado a todo instante, em um ambiente totalmente pensado para que ele possa fazer as escolhas que atenderão de forma mais eficiente às suas necessidades.

O blended learning permite a esse aluno criar seu próprio percurso de aprendizagem, presencial ou on-line, com interação, flexibilidade de ritmo e acompanhamento integral”, explica Saulo Furletti. Assim, o colaborador que tiver mais facilidade de aprender por texto, pode optar por fazer uma leitura. Um outro que prefira assistir a um vídeo terá a opção de assimilar o mesmo conteúdo por meio de uma videoaula, por exemplo.

Pesquisas apontam que os alunos apresentam níveis mais altos de retenção de informações quando submetidos a soluções de aprendizado combinado, em comparação com uma aula totalmente presencial.

Para as organizações:

Para as empresas, diversas vantagens podem ser observadas:

  • Redução de custos.
  • Possibilidade de atender um público mais amplo em menos tempo.
  • Capacidade de atualizar e reimplementar o treinamento em pouco tempo.
  • Iniciativas de aprendizagem mais imersivas: a pedagogia empresarial pode explorar estratégias de aprendizagem on-line que são mais engajadoras como o mobile learning, o microlearning e a gamificação.
  • Otimização das estratégias de avaliação: por meio de avaliações on-line é possível verificar rapidamente o progresso do treinamento e executar ajustes quando necessários.

Como aplicar o blended learning de forma eficaz nas empresas

Um programa ideal de educação corporativa baseada em blended learning, na opinião de Fabiana Bigão, teria como fundamento a utilização de ferramentas digitais para o aporte teórico e de encontros presenciais para as aplicações práticas do conteúdo. Ela ressalta que a teoria deve ser trabalhada, preferencialmente, por meio do microlearning.

Um passo a passo para colocar tudo isso em prática deve considerar:

Passo 1: Determinar por que o blended learning é necessário

Para isso, a pedagogia empresarial deve fazer as seguintes perguntas: quais são os gatilhos existentes para transformar o formato do treinamento ou para a criação de um programa baseado em blended learning? Quais os desafios existentes na entrega que devem ser compensados ​​no blended learning? Quais são os ganhos esperados?

Passo 2: Validar o impacto da abordagem para chegar ao grau de mesclagem mais eficiente

Nesse momento deve-se pensar: os alunos se alinham a esse formato de entrega e o receberiam com maior valor?

Passo 3: Identificar o suporte necessário para a entrega e o gerenciamento de alterações

Essa é a hora de avaliar as opções disponíveis de entrega, incluindo a plataforma LMS para treinamento on-line. Lembrando que uma boa plataforma deve oferecer uma experiência completa de aprendizagem ao aluno. Recursos de gamificação são sempre recomendáveis para tornar essa experiência mais interessante e engajadora e despertar a motivação intrínseca dos participantes.

Para compreender o significado dos elementos da gamificação, baixe nosso e-book sobre Gamificação na Educação Corporativa aqui. Ele aprofunda sobre casos de sucesso, os diferentes perfis de participantes e as melhores mecânicas de gamificação.

Passo 4: Avaliar a adequação do conteúdo à entrega combinada

Para isso é necessário mapear as atividades e os exercícios já formulados para a sala de aula e analisar sua adequação a um formato on-line. É importante, neste momento, analisar também a estratégia de avaliação que será empregada em uma entrega combinada.

O melhor recurso para isso é o desenho instrucional, que permite desenvolver atividades de aprendizagem de maneira sistemática e coerente. Um projeto de design instrucional geralmente prevê as etapas de análise, desenho, desenvolvimento, implementação e avaliação. Recursos de gamificação podem ser acrescentados nas fases de desenho e desenvolvimento para tornar os cursos mais engajadores.

Passo 5: Implementar o blended learning

Por fim, essa é a fase de criação do design do programa de treinamento híbrido. Ela deve contemplar o planejamento de um projeto piloto, o feedback desse projeto e sua reimplantação. Após um tempo, deve-se fazer uma pesquisa com os colaboradores e com a empresa para determinar o impacto do programa e propor adequações.

Desafios do aprendizado híbrido para a pedagogia empresarial

Embora as soluções de blended learning ofereçam vários benefícios, o modelo também pode apresentar certos desafios como a baixa adesão dos participantes e a falta de entendimento sobre o grau ideal de mistura das formas de entrega, entre outros. Nada, porém, que um bom trabalho da pedagogia empresarial não possa solucionar.

Siga-nos nas redes sociais!

Siga-nos no YoutubeFacebookTwitterLinkedIn e Instagram, estamos sempre disponibilizando conteúdo gratuito de qualidade!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *