Por que é difícil dar e receber feedback?

Todos nós precisamos de feedback, tanto positivo quanto do negativo. É importante saber o que estamos fazendo de forma positiva, bem como o que precisamos melhorar, para podermos corrigir as ineficiências e mantermos os acertos.

 

Feedback é um termo originado da eletrônica que significa retroalimentação. No contexto de gestão de pessoas e comunicação interpessoal, o feedback é um processo de ajuda para mudança de comportamento, ele consiste uma comunicação a uma pessoa, ou grupo de pessoas, para fornecer informações sobre como sua atuação está afetando outras pessoas. Esse processo, quando realizado de forma eficaz, ajuda o indivíduo a melhorar seu desempenho e assim alcançar seus objetivos.

Por que é difícil receber feedback?

É difícil aceitar nossas ineficiências e admiti-las para os outros, publicamente. A questão de confiança na outra pessoa é crítica, especialmente em situações de trabalho ou outras que podem afetar nosso status ou imagem. Podemos também recear o que a outra pessoa pensa a nosso respeito. Podemos sentir que nossa independência esteja sendo violada ou que o apoio que esperávamos nos esteja sendo negado.

Quando percebemos que estamos contribuindo para manter o problema e que precisaremos mudar para resolvê-lo, podemos reagir defensivamente: paramos de ouvir (desligamos), negamos a validade do feedback, ou podemos agredir o comunicador apontando-lhe também seus erros. Às vezes, a resolução de um problema pode significar descobrir e reconhecer algumas facetas de nossa personalidade que temos evitado ou desejado evitar até de pensar.

Por que é difícil dar feedback?

Gostamos de dar conselhos e com isso sentimo-nos competentes e importantes. Daí o perigo de pensar no feedback como forma de demonstrar nossa inteligência e habilidade, ao invés de pensar na sua utilidade para o receptor e seus objetivos. Podemos reagir somente a um aspecto do que vemos no comportamento do outro, dependendo de nossas próprias motivações, e com isso nos tornamo parciais e avaliativos, servindo o processo de feedback como desabafo nosso (alívio de tensão) ou agressão, mesmo que velada.

Podemos temer as reações do outro, ou seja, que o feedback seja mal-interpretado, pois, em nossa cultura, feedback ainda é percebido como crítica e tem implicações emocionais e sociais muito fortes, em termos de amizade (ou sua negação), status, competência e reconhecimento social. Se o receptor se torna defensivo, podemos tentar argumentar mais para convencê-lo ou pressioná-lo. Assim, reagimos à resistência com mais pressão e com isso aumentamos a resistência, o que acontece tipicamente em polêmicas que se radicalizam.

Muitas vezes, a pessoa não está preparada, psicologicamente, para receber feedback ou não deseja nem sente sua necessidade. É preciso atentar para estes aspectos, que constituem bloqueios à comunicação interpessoal. Se insistirmos no feedback, a pessoa poderá duvidar dos nossos motivos para tal, negar a validade dos dados, bem como racionalizar para se justificar.

Se você tiver interesse em conhecer mais sobre as barreiras que nos impedem de comunicar bem e um check-list de dicas para ter uma comunicação eficaz, baixe nosso e-book de Comunicação Eficaz aqui!

Fonte: Este texto foi extraído e adaptado do livro Desenvolvimento Interpessoal, da Fela Moscovici. 

Assista aulas GRÁTIS sobre o assunto

Para se aprofundar mais sobre comunicação eficaz, assista grátis a aulas do curso online de Comunicação Interpessoal, que discute sobre os fatores principais da comunicação, a percepção, a assertividade, a inferência, a escuta ativa e conversas difíceis. Clique aqui, veja o conteúdo do treinamento online e clique em Experimentar grátis!

Nos companhe

Siga-nos no YoutubeFacebook, TwitterLinkedIn e Instagram, estamos sempre disponibilizando conteúdo gratuito de qualidade!

Publicações relacionadas


6 habilidades que vão garantir seu trabalho nos próximos anos A tecnologia está substituindo o homem em várias áreas: engenharia, tecnologia, advocacia, serviços, alimentícia, etc. Mas existem áreas em que as máquinas não atuam tão bem quanto os humanos. Descubra quais são e se desenvolva clicando aqui! Você já viu a quantidade de reportagens falando do...
Gamificação na educação on-line: diretora da VIDDIA defende doutorado Novas formas de prover o ensino e a aprendizagem têm sido discutidas a partir da popularização das tecnologias, capazes de proporcionar flexibilidade de tempo, lugar e formato. Nesse contexto, a aprendizagem de qualidade constitui um desafio e a motivação dos alunos é um tópico que merece atenção. A...
Marketing, Papai Noel e a Coca-cola Pense um pouco: qual é o benefício funcional do refrigerante Coca-cola? Ele não mata a sede, é a água que faz isso. Mas há mais de 100 anos, a Coca-cola é líder em todos os mercados que atua, uma das marcas mais fortes do mundo. Por que? MARKETING. Papai Noel. Coca-cola. Assista ao vídeo e saiba ...
3 questões que você precisa saber sobre comunicação não verbal Segundo Stephen Robins, embora saibamos que os movimentos do corpo sejam uma parte importante do estudo da comunicação e do comportamento, as conclusões devem ser necessariamente cuidadosas. Este artigo aborda 3 coisas que qualquer profissional deve saber sobre comunicação não verbal.  Se voc...