Abrir uma empresa: quanto custa?

Abrir uma empresa é um investimento que normalmente só traz retorno em médio e longo prazo. Logo, é importante separar algumas horas para planejar o futuro do negócio. Como nenhum futuro é possível sem dinheiro, o primeiro passo a ser dado é olhar para o fluxo de caixa ao longo do tempo.

Empreender tem várias vantagens sobre ser assalariado, e pode ser muito recompensador em termos financeiros. Porém, é importante ter a certeza de que está no caminho certo para fazer do seu negócio um sucesso. É por isso que o planejamento financeiro é essencial para todos os tipos de negócios. É necessário se organizar desde o início, para dar os primeiros passos com segurança. Já falamos sobre três dicas financeiras para quem está começando uma empresa aqui. Este artigo trata dos custos para manter uma empresa em funcionamento.

Comece com o orçamento

Saber os custos para manter uma empresa é muito importante. O objetivo final é sempre gerar resultados vantajosos para o empreendedor. O orçamento é a melhor forma começar um planejamento financeiro para os gastos não fugirem do controle. Ao determinar o quanto a empresa pode gastar com cada atividade – por exemplo, contratações, comissões, aquisição de equipamentos – fica mais fácil manter a empresa funcionando e não ficar com as contas negativas.

Um orçamento corresponde às receitas (entradas de dinheiro) e despesas (gastos) de uma empresa relativamente a um período, que pode ser anual, mensal, trimestral, plurianual, etc. A administração de qualquer empresa, com ou sem fins lucrativos, deve estabelecer um plano financeiro com objetivos e metas para um período determinado, para que seja possível medir e acompanhar se os gastos e entradas correspondem ao planejado.

Custo para se abrir uma empresa e mantê-la

Manter uma empresa aberta e em funcionamento envolve diversas despesas fixas e variáveis. Todas devem ser consideradas na hora do seu planejamento financeiro e do seu orçamento. É essencial estar preparado para que esses custos surpreendam você depois de iniciado o negócio.

Os custos para manter uma empresa dependerão muito do ramo e tamanho, mas alguns itens a serem considerados estão presentes em praticamente todas as empresas, como os relacionados a custos de investimentos iniciais, funcionários, contas mensais de manutenção do local físico, contabilidade, pagamento de impostos, compra de equipamentos e pró-labore dos sócios.

Para se abrir uma empresa, começamos por registrar a empresa, a marca, definir o regime tributário e fiscal, e a empresa está pronta para começar. Mas, para manter a empresa em funcionamento, é necessário planejar o investimento inicial e determinar o ponto de equilíbrio, quando os rendimentos da empresa passam a ser suficientes para que ela ande sozinha. Até chegar ao ponto de equilíbrio, é necessário ter capital de giro, que consiste de dinheiro para financiar a continuidade das operações de um empreendimento, seja para despesas operacionais do dia a dia, ou para aquisições para estoque, por exemplo. Para saber o quanto precisa de capital de giro, seguem as principais despesas que é necessário considerar:

Investimento inicial

Consiste do dinheiro necessário para se abrir uma empresa, isto é, para o início das operações de qualquer empreendimento. Os seguintes itens podem fazer parte do investimento inicial de qualquer empresa:

  • Registro da empresa
  • Registro da marca
  • Compra de local físico de operação
  • Compra de equipamentos
  • Compra de móveis
  • Aquisição de softwares
  • Insumos iniciais para a operação da empresa

Custos fixos

São aqueles que são menos propensos a apresentarem variações de acordo com o volume de produção ou de vendas. Ou seja, valores que se mantêm estáveis todos os meses, independentemente do fato de a empresa produzir ou vender mais ou menos. Os seguintes itens podem fazer parte dos custos fixos de qualquer empreendimento:

  • Aluguel
  • Condomínio
  • IPTU
  • Energia
  • Água
  • Internet
  • Telefonia
  • Pagamento de funcionários
  • Limpeza
  • Manutenção de equipamentos
  • Segurança
  • Pró-labore

Custos variáveis

Correspondem aos gastos que aumentam ou diminuem de forma proporcional ao nível de atividade (produção ou vendas). Por exemplo, quanto mais produtos forem fabricados por uma indústria, maior será seu consumo de matéria-prima e, portanto, o gasto com ela. Os seguintes itens podem fazer parte dos custos variáveis de qualquer empreendimento:

  • Matéria-prima
  • Comissão paga a vendedores
  • Contratações e demissões
  • Impostos
  • Deslocamento para visitas a clientes

Gerencie o fluxo de caixa

Ao se abrir uma empresa podemos cometer várias falhas, mas a mais comum é não ter o controle do dinheiro que entra e do dinheiro que sai. O fluxo de caixa é o controle de entradas e saídas de dinheiro da empresa. E a partir dos dados extraídos dessa ferramenta, é possível verificar em que atividades a empresa está gastando mais dinheiro e fazer previsões sobre o quanto o empreendimento deve ter de custos no próximo período. Assim, é possível saber o quanto é necessário vender para manter o empreendimento sustentável e gerando lucros.

Você pode baixar gratuitamente uma planilha de fluxo de caixa aqui. Essa ferramenta é simples de usar e te possibilita lançar itens de despesa e receita, lançar suas despesas diárias e acompanhar o fluxo de caixa mensal, incluindo o resultado acumulado por ano. Com ela, é possível acompanhar também seus resultados financeiros graficamente. 

Fluxo de caixa para abrir uma empresa

Assista aulas GRÁTIS sobre o assunto

Para se aprofundar mais sobre finanças, você pode assistir grátis às 3 primeiras aulas do curso online de Finanças Empresariais, que aborda a aplicação prática dos fundamentos das finanças empresariais, com ênfase nos procedimentos que levam a tomada de decisões e análise de desempenho nas organizações. O diferencial deste curso é o uso de 16 planilhas práticas, disponibilizadas para download, instrumentalizando a prática das finanças empresariais. Clique aqui, veja o conteúdo do treinamento online e clique em Experimentar grátis!

Nos acompanhe

Siga-nos no YoutubeFacebook, TwitterLinkedIn e Instagram, estamos sempre disponibilizando conteúdo gratuito de qualidade!

Publicações relacionadas


Ignorância em finanças ocupa 2 entre 10 razões de fracasso profissional Se você aplicar R$100 na poupança hoje e não voltar a mexer nesse dinheiro, daqui a um ano você terá um valor igual a R$100, maior que $100 ou menor que R$100? Acredite, poucas pessoas sabem responder a essa pergunta. O brasileiro é otimista. Por um lado, isso é positivo, pois faz com que te...
Três dicas financeiras para quem está começando uma empresa Segundo pesquisa do CBINSIGHTS, 70% das startups americanas morrem por volta de 20 meses após conseguirem financiamentos de até US$1 milhão. Ou seja, dinheiro não vale nada se você não conhece de estratégia e de finanças. Lançar uma empresa bem sucedida envolve ter um bom produto em mãos, que...
Vale a pena pegar dinheiro emprestado? Devemos tomar dinheiro emprestado ou não? Alguns acreditam que, se não tivermos dívidas, então não temos nenhum bem. Esse modo de pensar reflete a ideia de que só podemos ter algo quando tomamos dinheiro emprestado para ir pagando no tempo. Pegar dinheiro emprestado, a juros altos ou baixos, ...
Ter lucro é realmente bom? Maior lucratividade ou maior rentabilidade: o que é melhor? Para se aprofundar mais sobre finanças,clique aqui e assista grátis às 3 primeiras aulas do nosso curso online de Finanças Empresariais. Muitos empresários decidem vender pouco, com a intenção de ganhar muito naquilo que vendem pouc...