Inteligência Emocional: o que o Federer nos ensina sobre ela

O tenista Roger Federer já havia nos ensinado muito em 2017 e se consagrou em 2018 com 20 Grand Slams conquistados. Entenda o conceito de Inteligência Emocional a partir desse caso.

Em 16/07/2017, Roger Federer, tenista de 35 anos, prestes a se aposentar, ganhou o Torneio de Winbledon 2017, depois de ficar 6 meses parado em 2016 para se recuperar de uma séria lesão. Mas poucos prestaram atenção na história por trás dessa vitória. Naquela época, já milionário, vencedor de 19 Grand Slams, em idade avançada para ser um tenista de elite, sem dever nada a ninguém, esperava-se que Federer não voltasse mais às quadras. Ele não precisava, já havia conquistado muito mais que qualquer esportista poderia desejar. Mas treinou, se recuperou e venceu. Até agora, essa é apenas mais uma história da jornada do herói: alguém que passa por uma grande dificuldade e a supera com seus próprios méritos.

Mas existe um detalhe importante nessa história: todos os seus adversários sabiam que seu ponto fraco era uma jogada chamada backhand. E durante seu período de recuperação, ele não apenas se fortaleceu da lesão, como treinou forte e fez com que essa jogada fosse uma das mais perigosas. Atenção, ele poderia muito bem dizer a si mesmo: “conquistei 19 grandes torneios com o que sou hoje, não preciso mudar, não preciso de mais nada”. Ao contrário desse pensamento comum em tantas pessoas, ele preferiu explorar seus pontos fracos e se fortalecer exatamente nesses pontos.

Dia 28/01/2018 Federer venceu o vigésimo Grand Slam. E não conseguiu se conter, chorando de emoção ao deparar mais uma vez com a vitória. A história do Federer ilustra o conceito de inteligência emocional, um dos atributos mais importantes que um profissional deve ter hoje em dia. As pessoas estão sendo admitidas pelos conhecimentos e habilidades, e demitidas devido à falta de inteligência emocional. Em linhas gerais, a inteligência emocional diz respeito a saber lidar com os altos e baixos do dia a dia e, principalmente, saber adiar a gratificação. Muitas vezes, a gratificação vem depois de um longo caminho de luta. E o sentimento de triunfo é um dos melhores que o ser humano pode experimentar. A professora Clara Linhares explica mais sobre esse conceito em um outro post que você pode acessar aqui.

Gravamos o vídeo abaixo em 2017 para explicar, dentro do conceito de inteligência emocional, o que aconteceu com Federer, e o que diferencia os vencedores.

Assista aulas grátis sobre o tema.
Para se aprofundar mais sobre inteligência emocional, assista grátis a aulas do curso online de Inteligência Emocional, ministrado pela professora Clara Linhares. Clique AQUI, veja o conteúdo do treinamento online e clique em Experimentar grátis!

Nos acompanhe.
Siga-nos no YoutubeFacebook, TwitterLinkedIn e Instagram, estamos sempre disponibilizando conteúdo gratuito de qualidade!

Publicações relacionadas


Descubra como lidar com emoções para melhorar seus relacionamentos Este post é uma adaptação do artigo sobre Emoção e Comportamento da Consultora de Gestão de Carreira e Professora da FDC e da VIDDIA, Clara Lúcia Sacchetto Linhares. É impossível não se identificar com pelo menos meia dúzia de parágrafos escritos aqui. Certa vez, um palestrante em um cong...
Quatro motivos para você deixar de ser multitarefa agora mesmo Muitos de nós caímos na tentação de iniciar várias atividades ao mesmo tempo, principalmente quando temos uma longa lista de coisas a fazer e queremos ser produtivos, certo? Pois estudos das Universidades de Stanford, London e Sussex mostram que ser multitarefa é muito menos produtivo do que rea...
Não acredite no que andam dizendo sobre marketing Todas as pessoas, sejam profissionais liberais, prestadores de serviço, ou funcionários de grandes empresas, oferecem VALOR por meio do seu trabalho. E todas as organizações, sejam elas com fins lucrativos ou não, grandes ou pequenas empresas, precisam do marketing para mostrar o seu valor. ...
Gamification e a história do estacionamento de Stanford Muita gente acha que gamification (ou gamificação) é criar um jogo para engajar as pessoas. Não é exatamente isso. Gamification é tomar emprestado design e elementos de jogos e aplicar em contextos que não são de jogos. O problema é que muitos acham que, ao distribuir pontos e medalhas, já estão cri...